Material Escolar Diverso para alfabetização foi entregue esta, terça-feira, dia 28 de Março, pela Embaixada Popular da China à Fundação Eduardo dos Santos – FESA, no âmbito da cooperação entre as duas instituições.
Do lote, entregue pelo Embaixador Chinês em Angola, Cui Aimin, destacam-se quatros escolares, cadernos, lápis de carvão, borrachas, afia lápis, apagadores, lapiseiras e canetas para quadros, avaliados em cerca de trinta mil dólares norte-americanos.
Durante a cerimónia a Vice-presidente da FESA, Antónia Nelumba, afirmou que alfabetização é um processo pelo, qual o indivíduo adquire habilidades, capacidade de interpretação, de compreensão crítica e produção de conhecimento, com vista a uma melhor inserção na sociedade. Sublinhando também que,  o país completa 41 anos desde o lançamento da campanha de combate ao analfabetismo, lançada pelo fundador da nação, Dr. António Agostinho Neto, quando na altura da proclamação da independência, Angola estava com uma taxa de analfabetismo de cerca de 85% da população.
A Vice Presidente Executiva da FESA, reconheceu que o governo angolano, com apoio da sociedade civil tem desenvolvido ao longo de quatro décadas elevados esforços, com a realização de campanhas nacionais de alfabetização em todas as províncias e foram registados progressos assinaláveis, observando-se hoje uma queda para 33% de cidadãos analfabetos. A meta é reduzir a taxa de analfabetismo para 21 % e o aumento da alfabetização em 78%, o que evidencia que o processo está a ganhar certa dinâmica e constitui hoje uma das grandes prioridades das autoridades ligadas a educação e ensino, visando a redução gradual do analfabetismo no país.
Antónia Nelumba, que falava em nome do Presidente da FESA, Dr. Ismael Diogo da Silva, aproveitou para saudar as mulheres, que constituem a maioria da população por alfabetizar em Angola e pelo facto da cerimónia de recepção de material escolar para o programa de alfabetização acontecer coincidentemente no mês de Março, sublinhando a necessidade de uma profunda reflexão para a erradicação do analfabetismo no país.
Recordou que em 2016 foram alfabetizados 500 mil cidadãos em Angola, sendo parte significativa dos mesmos apoiados com material distribuído pela FESA.
Por outro lado, o diplomata chinês apontou a educação como uma causa nobre que constitui a pedra fundamental para sustentar e fomentar o desenvolvimento de um país. Destacando que o desenvolvimento da educação exige modernização, e ao mesmo tempo, não pode ignorada a dificuldade de acesso a educação dos grupos vulneráveis.
Esclareceu com satisfação que os esforços conjugados do governo, sociedade e indivíduos, em particular as instituições de solidariedade social como a Fundação Eduardo dos Santos, Angola têm alcançado êxitos na luta contra o analfabetismo.
O diplomata realçou também que pala via da leitura e escrita, um grande número da população alfabetizada alcançou a auto estima e mudou a trajectória de vida, tornando-se também energia para o desenvolvimento da sociedade.
O Embaixador da República Popular da China, falou também da cooperação China-Angola e enfatizou que os seus resultados positivos beneficiam todas as áreas do desenvolvimento dos dois países, assegurando que a China está disponível a compartilhar as suas experiências de alfabetização com Angola e continuar a apoiar essa causa, como exemplo a doação de material para o efeito.
A cerimónia de recepção de material escolar para o programa de alfabetização da FESA que decorreu no edifício sede da instituição no Miramar, contou com a presença de responsáveis do ministério da Educação, membros das forças armadas angolanas, membros da comissão nacional de alfabetização, membros do conselho de Curadores da Fundação Eduardo dos Santos.

BIGtheme.net Joomla 3.3 Templates